Marketing

5 dicas de marketing digital que todo empreendedor precisa saber em 2016

dark-toy-detail-lego
Escrito por Diego Santos

O marketing digital ganha cada vez mais espaço dentro das agências de propaganda tradicionais e fatias de investimento em campanhas publicitárias. Isso é mais do que um indício de que 2016 será o ano da internet como a grande responsável por alavancar a abrangência de novas marcas e startups.

A tecnologia dos mecanismos de busca e o modo como as pessoas os utilizam muda e evolui o tempo todo. O mesmo pode ser dito para sites de negócios. Um dia, seu web site que não é construído de uma forma amigável móvel está funcionando muito bem e, em seguida, uma grande mudança acontece, da noite para o dia, o tráfego do site da sua empresa cai, assim como suas conversões.

Seu trabalho como um empresário e fundador de startup é construir um produto que resolva um problema e encontre uma maneira de monetizar isso, impulsionar a receita e contratar a equipe certa para manter um crescimento estável, certo? Não é necessário que você se mantenha atualizado sobre tudo o que está acontecendo na indústria de marketing digital, mas você não pode ser tão ingênuo  a ponto de pensar que não precisa saber nada.

Aqui está uma lista de 5 coisas que você deve entender sobre o estado de marketing digital em 2016.

1. Você deve ter uma estratégia para dispositivos móveis

A mudança mais recente na paisagem digital é que a busca móvel superou a feita pelo desktop. A atualização mais recente do algoritmo do Google forçou os desenvolvedores a darem mais prioridade ao formato móvel de seus sites. E o que acontece se você demorar a perceber isso? A sua empresa pode sofrer as consequências de usuários insatisfeitos e retornando aos resultados de pesquisa.

Os mecanismos de busca agora são incluindo celular como um de seus sinais de classificação. O Google chegou a anunciar em seu blog Adwords que a busca móvel ultrapassou a busca no desktop em mais de 10 países, que inclui os Estados Unidos e Japão. Olhe ao seu redor, as pessoas hoje vivem suas vidas através de suas telas de smartphones. Eles usam seus telefones para procurar respostas para praticamente qualquer coisa que queiram saber, fazer ou comprar.

Em 2016 os consumidores esperam uma experiência local transparente e abrangente em todos os dispositivos.

Google está se concentrando no celular tanto que o fundador Larry Page incentiva seus engenheiros e gerentes de produto a passar o mínimo de um dia por semana trabalhando, exclusivamente, a partir de seus dispositivos móveis. Não é ilógico concluir que uma empresa que não inclui a busca móvel como parte de sua estratégia de marketing acabará sendo deixada para trás por seus concorrentes mais ágeis e inovadores.

2. SEO não morreu e não é um projeto

Há alguns grandes mitos de Marketing Digital especificamente em torno do termo Search Engine Optimization, (SEO). Infelizmente, não são poucos, os dois que os empresários parecem adorar é que “SEO é um projeto” e “SEO está morto.

O Google fez mais de 665 atualizações em seu algoritmo no ano passado. Durante a conferência SMX sobre pesquisa avançada, Marshall Simmonds, que foi o consultor de SEO para grandes editoras, como o The New York Times, afirmou em sua apresentação, que SEO não é um projeto e nunca deve ser considerado como um só. Você acha que SEO é feito, ele nunca é feito. As empresas irão falhar se eles acham que há uma data de início e fim. Os consumidores usam a Internet para encontrar informações sobre praticamente tudo.

Vamos agora ao segundo mito (sobre ele estar morto). Enquanto existirem motores de busca sempre haverá alguma forma de interpretação e otimização necessária. SEO não morre, mas evoluiu drasticamente. Você pode pensar no Google como o Imposto de Renda e SEO como os auditores fiscais que estão lá todos os anos para ajudá-lo a navegar e interpretar as novas alterações na lei fiscal (pesquisa) que saíram.

Muitas dessas atualizações do algoritmo acontecem sem o perceber da indústria, mas a cada poucos meses geralmente aparece uma mudança tão drástica que vai sacudir a comunidade on-line e ela irá definir os vencedores e perdedores, enviando algumas empresas diretamente ao topo dos resultados de pesquisa e outros muito mais para  baixo.

Empresários e gerentes não precisam saber todos os detalhes das oportunidades e consequências exatas para cada algoritmo  como o Panda, Pinguim, Beija-flor ou Pombo, mas eles devem entender que é fundamental ter alguém na equipe que saibam. Search engine optimization é algo vivo. Rand Fishkin, o fundador da Moz, uma das mais rápidos empresas de software de análise de marketing, recentemente fez uma apresentação no Slideshare sobre o quanto SEO mudou em 2015 e como as táticas de marketing devem mudar também.

3. Digital Marketing é mais do que anúncios em PPC

Um par de anos atrás, anúncios pagos foram considerados a solução final para o  marketing digital. Hoje, no entanto, PPC (Pay Per Click) tem cada vez menos importância na decisão de compra de um usuário.

Criação de conteúdo orgânico (não pago) e útil pode ajudar a responder a perguntas das pessoas. Ninguém mais aguenta aqueles anúncios intrusivos que simplesmente tentam te empurrar um produto. As redes sociais são a saída para que startups se aproximem de seu público-alvo, entenda-os e assim ofereçam algo que realmente eles procurem (sempre isso será uma venda direta, muitas vezes o fã/cliente quer apenas tirar uma dúvida).

No entanto, não deixe cair sua conta do Adwords, o anúncio no Google é útil, mas é apenas uma pequena parte da venda on-line. Há mais de uma maneira de engajar consumidores através da paisagem digital e isso não acontece durante a noite.

Você pode ter um monte de seguidores do twitter, mas como converter isso em vendas? Você pode levá-los para o seu site, mas você vai mantê-los lá? Você está desenvolvendo uma maneira de mover os visitantes através do funil de vendas em seu site?

A coisa sobre tudo isso é que você não tem que saber tudo. Há pessoas que se especializam neste espaço que são capazes de fornecer-lhe formas mais estratégicas e campanhas que você jamais sonhou. Marketing digital pode não só aumentar o seu ROI de vendas, mas também o ROI da sua marca.

4. Conteúdo de valor = Grandes Recompensas

Conteúdo está em toda parte que você olhar, um “como fazer” do blog, um blog de comparação de produtos, um blog de um especialista, infográficos, tweets, atualizações de status, imagens, pins, imagens, vídeos, memes, GIFs…

Você já leu e viu tudo isso e agora você percebe que isso é o que alimenta a web. Isso é o que recebe os visitantes do seu website. Esses visitantes que, por sua vez, vão adorar o seu conteúdo tanto a ponto de compartilhá-lo com seus amigos e o resto da internet. De repente você começa um aumento no tráfego e várias chamadas para seus serviços ou ordens para o seu produto. Marketing Digital e Marketing de Conteúdo são a mesma coisa, você precisa ter conteúdo para ter uma presença no mundo digital.

5. A otimização da taxa de conversão pode dar ao seu site informações valiosas em um curto período de tempo

Cada web site de startup  deve ter algo para o usuário fazer, assinar uma lista, preencher formulário de contato ou comprar algo. Otimização taxa de conversão (CRO) é a ciência e arte de ajudar os visitantes passivos de seu site a se tornarem mais engajados e atingir suas metas.

Otimização de conversão não é de graça, exige a contratação de uma empresa profissional (CRO) para ajudar a analisar e determinar a melhor forma de otimizar um site, implementar um teste A/B  e, em seguida, fazer os ajustes necessários nos botões de CTA (call to action), nos formulários e etc. Este torna-se ainda mais crucial quando você tem um negócio de comércio eletrônico, com as taxas de abandono do carrinho de compras em uma média de 68% você deve otimizar suas páginas da loja e carrinho para conversões. Se a sua empresa quer maximizar o seu tráfego na web e conteúdo digital, então eu sugiro dar uma chance ao CRO.

Conclusão

Tecnologia e estratégias de marketing digital estão sempre mudando. Coisas como a criação de conteúdo, blogs e construção de consciência de marca em torno de um produto são muitas vezes consideradas uma experiência secundária e/ou uma parte secundária da empresa, que é uma forma completamente errada de pensar. Em muitos casos, as primeiras experiências que um cliente pode ter sobre o seu produto está na internet antes mesmo de ter a chance de tocar ou usá-lo em primeira mão.

Se a sua empresa não tem esses dois aspectos trabalhando juntos e bem alinhados, então você poderia estar causando problemas com a construção de consciência para sua empresa/produto.

Sobre o Autor

Diego Santos

Publicitário. Especialista em Comunicação em Redes Sociais - Experiência de mais de cinco anos em marketing e comunicação digital. Atua com gestão de canais de Social Media, planejamento e elaboração de conteúdo além de otimização para mecanismos de busca; (SEM E SEO)

5 Comentários

Deixe um comentário

[EBOOK] Como fazer concursos no Instagram

Instagram é indiscutivelmente a câmera do mundo e um ótimo lugar para storytelling visual. Se você nunca realizou uma competição no Instagram antes, ou está procurando maneiras de melhorar seu primeiro concursos, este e-book foi feito para você.

Seus dados estão protegidos!